diariodofestival @ 16:06

Qui, 25/02/10

Estamos no pego do inferno que de inferno nada tem a não ser o nome que traduz a força da natureza representada pela água que corre em cascatas de uma beleza que nos transporta ao verdadeiro paraíso que se encontra em plena serra algarvia.

 

Tal como a água que se desprende das montanhas e corre para o mar; o sangue corre nas nossas veias levando a vida aos mais pequenos recantos do corpo; assim como as melodias e os poemas que nos elevam a alma e nos fazem cantar os mais sublimes sentimentos;

 

Assim seguimos o nosso caminho em direcção ao grande dia da semi final do festival RTP da canção local onde irão desaguar todas as emoções plantadas ao longo de tantos dias de empenho e entrega a este projecto maravilhoso que começou por ser um sonho lindo que sendo agora real jamais deixará de ser sonho.


Ricardo Martins




diariodofestival @ 11:07

Seg, 22/02/10

Olá a todos!

Mais um fim-de-semana se passou e agora entrámos na recta final deste Festival da Canção. O dia 2 de Março está quase a chegar! Estes últimos três dias foram essencialmente dedicados à família e aos amigos, com uma ida ao cinema com os meus filhos (fui ver o filme de animação “Chovem almôndegas”, que recomendo vivamente a quem tem crianças!), uma festa de 40 anos de um grande amigo, um sobrinho internado no hospital com uma gastroenterite (felizmente já teve alta!). Apenas no Domingo tive novas reuniões relacionadas com a interpretação da canção “O amor não sabe”. Há ainda alguns pequenos aspectos para tratar e é apenas isso que me deixa um pouquinho ansiosa, pois sei que esta última semana antes da semi-final vai passar num instante. Mas acredito que tudo vai correr bem!

 

Filipa Galvão Telles

 

Para aderir ao grupo de apoio à canção “O amor não sabe” no facebook, vá a FESTIVAL DA CANÇÃO – VAMOS VOTAR NA FILIPA GALVÃO TELLES em

http://www.facebook.com/group.php?gid=293492316030&ref=ts.

 




diariodofestival @ 11:41

Sex, 19/02/10

Estes dois últimos dias foram muito preenchidos com actividades relacionadas com o Festival da Canção. Ontem, tive de ir ao encontro de uma pessoa por causa de um aspecto relativo à minha interpretação de “O amor não sabe” (não posso revelar-vos pormenores…!) e fiquei muito satisfeita com as perspectivas que se abriram. Hoje, tive de sair do hospital um bom bocado mais cedo do que o habitual, para ir com o Zé Campos e Sousa, o autor da música, ao estúdio do Rámon Galarza, onde tínhamos uma nova reunião marcada para trabalharmos mais algumas questões que se prendem com o arranjo musical da canção. Depois, saí de lá a correr e tive de atravessar Lisboa inteira para ir gravar uma reportagem para o programa “Portugal no Coração”. Como o tempo estava péssimo e não deu para filmar no exterior, optámos por uma solução de interior que ficará certamente bem original! O Sérgio e o Miguel – respectivamente repórter e operador de câmara – foram muito simpáticos e passei um bocado de tarde diferente e bem divertido! À noite, foi tempo de ainda fazer alguns telefonemas e de pôr o correio electrónico em dia. Os meus filhos, depois de umas curtas mas bem vividas férias, recomeçaram hoje as aulas.

 

Filipa Galvão Telles

 

 

Para aderir ao grupo de apoio à canção “O amor não sabe” no facebook, vá a FESTIVAL DA CANÇÃO – VAMOS VOTAR NA FILIPA GALVÃO TELLES em

http://www.facebook.com/group.php?gid=293492316030&ref=ts.

 




diariodofestival @ 11:18

Qui, 18/02/10

Estamos a cerca de 15 dias do grande dia e o nervoso miudinho já começa a trazer um frio na barriga.

Os meus dias têm decorrido de forma normal entre as actividades normais a nível profissional e a rotina doméstica mas o festival faz-se presente em tudo seja nas pessoas que puxam o assunto em conversa seja no meu pensamento dando eu muitas vezes comigo a trautear a canção.

As viagens entre o Algarve e Lisboa têm sido momentos em que a sós comigo mesmo me entrego a reflectir sobre este sonho que tomou conta dos últimos tempos da minha vida e que me tem trazido experiências fantásticas.

A nível musical tem sido uma honra trabalhar com o maestro Fernando Martins e a sua equipa e a nível de televisão foi fantástico o trabalho efectuado com o João Paulo Silva e os seus companheiros.

A equipa que cuida da nossa imagem também se revela de uma espectacularidade singular.

Em todos os que de perto tenho contactado e que trabalham para o festival Rtp da canção tenho encontrado pessoas extraordinárias que revelam uma entrega a este projecto e uma sensibilidade que me faz sentir que estou a viver uma realidade que para mim existia apenas em sonhos.

Creio que estar aqui neste mundo em que a música é rainha suprema e tudo gira em seu torno faz com que se abram novos horizontes quanto mais não seja pelo tanto que aprendemos seja a nível profissional seja em termos de relações humanas.

É sem dúvida uma grande responsabilidade abraçar este sonho em que tantos estão envolvidos quer os que nele trabalham quer o público que é parte integrante do espectáculo porque sem público não haveria artistas.

Ricardo Martins
 




diariodofestival @ 11:03

Qua, 17/02/10

EscP – A Nucha será, porventura, uma das mais emblemáticas intérpretes do Festival RTP da Canção. Começou por participar no Prémio Nacional da Música (PNM), em 1988, com o tema Se calhar, venceu o Festival em 1990, com Sempre há sempre alguém, regressou em 2009, com Tudo está na tua mão, e volta a lutar pela vitória, este ano, com o tema Chuva. Qual é o denominador comum a todas estas participações? Quais os sonhos e ambições que se mantiveram ao longo destes mais de 20 anos?

Nucha - Sempre que tenho uma canção / conceito / projecto em que acredito e onde posso mostrar um dos meus lados de artista aceito-o! O Yannis Kotsanas, há quase um ano, enviou-me a melodia composta por Marios Gligoris e uma proposta completa, em todos os seus detalhes. Eu disse SIM de imediato! A equipa grega contactou o Nuno Valério, para escrever a letra em português, assim surgiu a CHUVA! Estamos todos muito orgulhosos do projecto!

 

EscP – A esta distância como é que avalia a sua participação, e o resultado obtido, no Festival da Eurovisão de 1990, em Zagreb?

Nucha - ‘’Regressar’’ a 1990, não é uma coisa nova para mim! Costumo fazê-lo para ir buscar força, quando necessário! Representar o nosso país, num evento tão grande, é uma experiência única! Gostaria de ver o Festival Eurovisão da Canção realizado em Portugal... esse é o meu sonho! CHUVA tem uma sonoridade não só Portuguesa mas também internacional, de forma a que as pessoas em toda a Europa possam senti-la como "deles"! Até o título foi escolhido baseado numa ideia simples. Uma palavra de duas sílabas, que as pessoas podem facilmente lembrar, mesmo que não falem Português!

 

EscP - Como olha para a actual momento do Festival da Canção, tendo em conta a aposta, por parte da RTP, na inovação e no reavivar do prestígio do evento, feita nos últimos anos?

Nucha - Cada passo rumo a uma nova direcção é sempre bem-vindo! Há somente uma coisa de que eu sinto falta e eu vou ousar dizer isso... Músicos a tocar ao vivo no evento! Sinto-me um pouco desconfortável quando assisto a grandes músicos no palco a "fingir" que estão a tocar os seus instrumentos!

 

EscP – Como definiria o estilo e as influências musicais do tema Chuva?

Nucha - CHUVA é uma canção que parece ter sido tirada de um filme que ainda não foi filmado. Como intérprete tenho que colocar toda a minha alma, não só a minha voz, para revelar seus segredos mais profundos.

 

EscP – É possível, neste momento, revelar um pouco do que vamos poder ver no palco do Festival?

Nucha - Tudo sobre a apresentação ao vivo foi decidido há muito tempo! O conceito da semifinal será conhecido no dia 2 de Março, não posso revelar nada agora...eheheh.

 

EscP – Quais são as suas expectativas para este Festival? Que resultado será considerado satisfatório?

Nucha - Como artista Portuguesa a expectativa é uma só: que o público e o júri escolham uma canção para trazer o Eurovision Song Contest para Portugal em 2011!

 

EscP – Que avaliação faz, em termos globais, das várias canções e projectos musicais a concurso, este ano, no Festival da Canção?

Nucha - Ouvi apenas 1'30'' segundos das músicas! Ao que tudo indica, vamos ter um festival interessante este ano! Quero felicitar todos os envolvidos, bem como expressar como me sinto honrada de estar entre eles!

EscP – Tendo acompanhado a história recente do Festival da Eurovisão, acredita na possibilidade de uma vitória de Portugal? Chuva poderá ter o potencial para alcançar essa vitória?

Nucha - Devemos todos acreditar nesta possibilidade! A canção escolhida tem de ser apoiada por todos nós! Se CHUVA tem o potencial para alcançar uma vitória, cabe a quem vota decidir!

 

EscP – Gostaria de deixar alguma mensagem para os leitores do ESCPortugal e para os fãs da Nucha?

Nucha - Quero agradecer aos fãs por todo o seu apoio. A mensagem para os leitores do ESC Portugal: Votem na canção que acreditam que pode trazer o Eurovision Song Contest para Portugal no próximo ano ! Todos nós queremos isso, todos lutamos por isso, todos nós merecemos isso!

 


http://escportugal.pt.vu/

Publicado por Pedro Correia




diariodofestival @ 10:58

Qua, 17/02/10

Olá a todos! Estive vários dias sem vos escrever porque, como referi, fui passar o fim-de-semana prolongado à EuroDisney com a minha família e com uns amigos. Foi giríssimo e os miúdos adoraram (e os crescidos também, para dizer a verdade!). Quando chegámos, estava tudo coberto de neve, o que deu um encanto ainda mais especial àquele fantástico espaço. Graças a Deus, a minha voz parece não ter sido afectada pelo imenso frio que apanhámos!!!
Mal cheguei daquele mundo encantado, tive de pôr imediatamente os pés na terra: apesar de ser terça-feira de Carnaval e feriado, fui à primeira reunião com a equipa de styling para definirmos o que vou vestir durante a minha actuação na semi-final do dia 2 de Março e depois na final (espero muito conseguir passar, claro!). Para além da Cátia Castel-Branco, a responsável pela produção de imagem, integram a sua equipa a Sara, a Cristina e o Diogo, com quem passei uma tarde que, mesmo sendo de trabalho, foi muito agradável e divertida. Foram todos muito simpáticos comigo! Quanto à escolha da roupa… Será uma surpresa!!!

Filipa Galvão Telles

Para aderir ao grupo de apoio à canção “O amor não sabe” no facebook, vá a FESTIVAL DA CANÇÃO – VAMOS VOTAR NA FILIPA GALVÃO TELLES em

http://www.facebook.com/group.php?gid=293492316030&ref=ts.


 




diariodofestival @ 10:24

Seg, 15/02/10

Eurovision-Portugal (EP) - Participam pela primeira vez neste concurso. Como surgiu a ideia desta participação no Festival da Canção 2010?
Trocopasso (Tr) - Participar no Festival da Canção é um marco e uma ambição de qualquer músico em Portugal. Além de ser um Festival que nos diz muito pessoalmente, faz parte das nossas recordações de meninos, estar com a família reunida em frente à TV para assistir a este grande momento. Apesar de já termos pensado há mais tempo nesta iniciativa foi no início do mês de Dezembro que tudo começou a tomar corpo e com o apoio e encorajamento de um amigo especial, o nosso manager (que sempre acreditou em nós e nos encorajou imenso: a ele o nosso obrigado). O Jorge Oliveira propôs a letra e a música e fomos trabalhando esse material. Com o passar do tempo o tema foi ganhando mais força e energia até que pensámos e a opinião foi unânime: "Porque não?".


EP - O que poderá significar, para a banda, esta participação no Festival da Canção?

Tr - Para os Trocopasso significa, inevitavelmente, uma maior projecção ao nível musica; a oportunidade de representar a música Portuguesa; novas experiências e uma nova fase muito positiva destes onze anos juntos.
 

EP - Como descrevem o tema "O Mundo De Pernas Para O Ar"?
Tr - Trata-se de uma canção com uma mensagem de coragem e de optimismo. É um convite às pessoas para reinventarem a sua forma de ver a vida. Muitas vezes temos de mudar as nossas leis e virar 'o mundo de pernas para o ar' para enfrentar aquilo que a vida nos dá.
 

EP - No vosso ponto de vista, qual a mais valia que o tema apresenta para merecer a vitória neste concurso?
Tr - A mensagem forte e optimista e a melodia enérgica e envolvente.


EP - Os dados estão lançados e a ordem de actuação nas semi-finais já foi decidida. Sentem-se confiantes na qualificação para a final do Festival da Canção 2010?
Tr - Sim. A música fica facilmente no ouvido e acreditamos que vai agradar ao público. Quanto ao facto de sermos a 11ª canção da 2ª semi-final, por ventura o público terá menos tempo para votar mas a RTP terá todo o cuidado de informar que as votações estão abertas desde o início do espectáculo e que o voto pode ser reformulado ao longo da noite.
 

EP - Relativamente ao novo formato do Festival da Canção, com uma ronda de qualificação on-line e duas semi-finais, qual a vossa opinião acerca do recurso à internet e consequente implicação nas votações do concurso?
Tr - Sinceramente não encontramos nada a opor. Parece-nos bem.
 

EP - De forma breve, como descrevem o vosso estado de espírito a menos de um mês de pisar o palco do Festival da Canção 2010, numa das maiores salas de espectáculos do país – o Campo Pequeno?
Tr - Coração muuuuuuiiiiito apertado e muuuuuiiiita ansiedade. Subir ao Campo Pequeno? Fantástico. O marco da nossa vida.

 




diariodofestival @ 14:43

Sex, 12/02/10

FC (Nós) - Em primeiro lugar toda a equipa de trabalho do site “Festivais RTP e Outras Finais Nacionais” dar-lhes os parabéns pela passagem às semifinais do Campo Pequeno.
O que os motivou a concorrer ao Festival da Canção deste ano?

BT (Banda Trocopasso) - - Tal como certamente para todos os restantes concorrentes, o Festival da Canção representa um marco na história e na cultura musical do nosso País. É verdadeiramente uma honra poder participar neste evento.

 

FC - Como souberam e qual foi a sua reacção ao saberem que a vossa canção era uma das 30 escolhidas entre um lote de 420?
BT - Fomos informados de que tínhamos sido seleccionados pela própria RTP. Como deve imaginar, ficámos muito felizes por todo o empenho e dedicação depositados na produção deste tema terem sido reconhecidos. É uma satisfação enorme saber que apreciam o nosso trabalho.


FC - Como viveram a semana de votações online?
BT - Com muita emoção e muita ansiedade naturalmente. Sentimos muito o apoio do público, de amigos e familiares Foi fantástico.

 

FC - Concordam com este método de apuramento?
BT - Sim.

 

FC - Acham suficiente o minuto e meio disponível online para o público avaliar as canções?
BT - Na verdade, achamos que é suficiente para dar uma ideia geral da música criando alguma expectativa para o momento da apresentação integral das músicas na transmissão televisiva.

 

FC - Como descrevem a vossa canção?
BT - Trata-se de uma canção de coragem e de optimismo, um convite às pessoas para reinventarem a sua forma de ver a vida. Muitas vezes temos de mudar as nossas leis e virar “o mundo de pernas para o ar” para enfrentar aquilo que a vida nos dá.


FC - Quais as expectativas para as semifinais e final?
BT - Trata-se de uma experiência nova para nós e temos, naturalmente, alguma ansiedade. As nossas expectativas são as melhores pois acreditamos na nossa música. É uma música com energia, com garra, com uma boa mensagem e que vai agradar ao público.


FC - Do Campo Pequeno para Oslo é um grande passo só acessível a uma das 24 canções em competição, qual a sensação de poderem vir a ser os eleitos do júri?
BT - É este o nosso profundo desejo: com energia, garra e uma mensagem de coragem representar as cores da nossa bandeira e levar a Língua e a música Portuguesas além fronteiras.


FC - A canção que vão defender irá sofrer alterações?
BT - Tal como todas as restantes músicas, terá de ser adaptada para poder ter acompanhamento da orquestra pelo que é necessário fazer uma ou outra alteração mas nada de substancial.

 

FC - quantos elementos irão estar em palco?
BT - Seis elementos.

 

FC - Como irão apresentar a sua canção em palco? Haverá algum elemento cénico extra?
BT - Essa questão ainda está a ser analisada.

 

FC - Quanto à roupa que irão vestir todos os elementos da vossa canção há algo já pensado?
BT - O guarda-roupa está a ser idealizado e enquadrado por profissionais da RTP em quem confiamos plenamente.

 

FC - Qual a sensação de poderem vir a pisar o grande palco da Eurovisão em representação de Portugal?
BT - È o nosso desejo maior. Só a ideia de o fazer é algo que nos enche o peito e quase nos tira o fôlego. Concretizá-lo é algo inexplicável.

 

FC - Desejamos a melhor sorte e uma grande participação no festival.




diariodofestival @ 12:03

Sex, 12/02/10

Como surgiu a ideia de concorrer ao Festival da Canção?
Participar no Festival da Canção é um marco e uma ambição de qualquer músico em Portugal além de ser um Festival que nos diz muito pessoalmente. Faz parte das nossas recordações de meninos estar com a família reunida em frente à TV para assistir a este grande momento. Apesar de já termos pensado há mais tempo nesta iniciativa foi no início do mês de Dezembro que tudo começou a tomar corpo e com o apoio e encorajamento de um amigo especial, o nosso manager (que sempre acreditou em nós e nos encorajou imenso a ele o nosso obrigado). O Jorge Oliveira propôs a letra e a música e fomos trabalhando esse material. Com o passar do tempo o tema foi ganhando mais força e energia e a opinião foi unânime: “Vamos a isto!”.


Qual o vosso percurso no mundo do espectáculo até ao momento?
Tudo começou há 11 anos atrás em que um grupo de jovens se juntou para dar largas ao seu amor pela música. Começámos a gostar do resultado, surgem os primeiros convites para animação de eventos particulares e pequenas festas.
Anos mais tarde surge a oportunidade de ser a banda de suporte da Artista Portuguesa Maria Lisboa (2004/2005) e os nossos primeiros espectáculos ao ar livre. Subimos ao palco, sentimos o público e… ficámos contagiados. Não conseguíamos parar. Sabíamos que era por ali. Surgem cada vez mais espectáculos ao ar livre e novos desafios sendo um deles, e o maior, a nossa participação no Festival da Canção.


Como descreveriam a vossa canção, "O Mundo de pernas para o ar"?

Trata-se de uma canção com uma mensagem de coragem e de optimismo, um convite às pessoas para reinventarem a sua forma de ver a vida. Muitas vezes temos de mudar as nossas leis e virar “o mundo de pernas para o ar” para enfrentar aquilo que a vida tem para nos dar.


Ficaram surpreendidos com o 5.º lugar que tiveram na votação online? Contavam passar ao Campo Pequeno?
Uma vez que se trata de uma música com muita energia e uma mensagem de coragem acreditámos sempre que poderíamos chegar ao Campo Pequeno. O 5º lugar foi a nossa maior vitória. Contávamos ter uma boa pontuação mas o 5º lugar superou as nossas expectativas. É um sinal de que o público gostou realmente da nossa música e estamos muito felizes por isso.


O que podemos esperar da versão final da canção? E em palco, como pretendem apresentar-se?
Tal como todas as restantes músicas, a nossa música será adaptada ao acompanhamento da orquestra o que a vai tornar ainda mais forte e envolvente. Quanto à nossa apresentação em palco esta ainda está a ser cuidadosamente analisada.


Em relação ao sorteio das semifinais, ficaram satisfeitos por serem os penúltimos a actuar na 2.ª semifinal? Pensam que isso vos poderá beneficiar na hora de o público votar?
A música fica facilmente no ouvido e acreditamos que vai agradar ao público. Quanto ao facto de sermos a 11ª canção da 2ª semi-final, porventura o público tenha menos tempo para votar mas a RTP terá todo o cuidado de informar que as votações estão abertas desde o início do espectáculo e que o voto pode ser reformulado ao longo da noite.


Qual a vossa opinião acerca dos restantes concorrentes ao Festival da Canção?
Tal como nós estão a dar o seu melhor e estão certamente muito ansiosos pela grande Noite.


Para além do Festival da Canção, que outros projectos a Banda Trocopasso tem em mãos?
Estamos ainda com contactos e projectos muito desafiantes mas ainda não poderemos adiantar muita informação.
 

Querem deixar uma mensagem final aos vossos leitores e aos vossos fãs?
Dia 4 de Março
Deixem todas as tensões e problemas e cantem connosco “ O Mundo de Pernas p’ro Ar!”.

Canção nº 11
Contamos com o vosso Voto.

 




diariodofestival @ 12:01

Sex, 12/02/10

Ontem e hoje foram dias essencialmente de trabalho no hospital, mas sem nunca poder esquecer a preparação para o Festival da Canção: ajustar a agenda com diversas marcações de reuniões na próxima semana, enviar várias informações por e-mail para a RTP, etc., etc. Pelo meio, foi necessário tratar de todos os preparativos para a viagem que neste fim-de-semana irei fazer em família: vamos à EuroDisney! Podem imaginar a excitação dos meus filhos…
O grupo de apoio à canção “O amor não sabe” no facebook ultrapassou as 1.000 pessoas! Fiquei super-contente! Se quiser aderir, vá a FESTIVAL DA CANÇÃO – VAMOS VOTAR NA FILIPA GALVÃO TELLES em http://www.facebook.com/group.php?gid=293492316030&ref=ts# Por lá ou por aqui, poderá acompanhar todas as novidades deste projecto até à semi-final no Campo Pequeno no dia 2 de Março (e quem sabe depois até à final!!!).

 

Filipa Galvão Telles

 



Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
16
20

21
23
24
26
27

28


Arquivo
2010

Pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO