diariodofestival @ 10:40

Sex, 05/02/10

CATARINA PEREIRA

O bichinho da música e da dança nasceu com ela. Apesar dos seus 19 anos, conta já com um longo currículo no campo artístico.
Fez o curso profissional de dança contemporânea na escola Balleteatro do Porto. Mas antes, durante sete anos, frequentou aulas de dança jazz, na escola de música e bailado Alberta Lima, em Matosinhos. A par com a dança, aprendeu canto lírico e a tocar guitarra.
A aposta na formação começou a dar frutos, quando em 2007 participa e chega à final do programa televisivo “Família Superstar” (SIC). No ano seguinte é a protagonista da peça “High School Musical”, onde teve que representar, cantar e dançar. No fundo aquilo que no ramo chamam de “ameaça tripla”…
Depois da experiência na peça, decide aprofundar conhecimentos e inscreveu-se num workshop de canto, em Londres, e num workshop de dança. No mesmo ano iniciou as gravações do seu primeiro álbum a solo. Contudo, ainda teve tempo para participar no evento “Vozes de Ouro”, nas salas do Campo Pequeno e do Coliseu dos Recreios.
Em 2009 volta a representar, cantar e dançar quando deu vida a “Bárbara” no musical de Filipe La Féria “A Gaiola das Loucas”.

 

 

 

 


CARLOS COELHO

Carlos Coelho nasceu a 6 de Setembro de 1981 em Resende, Portugal.
Desde jovem, sempre se interessou por diversas artes como a música, o desenho, a fotografia e a escrita. Como jovem, faz um percurso artístico eclético: aos 13 anos, vence um Concurso Nacional de Banda Desenhada, aos 14 anos vence um Concurso Literário em língua inglesa e aos 16 anos, vence um Concurso Nacional de Fotografia para Jovens.
Porém, o seu interesse na música fez com que começasse a escrever as suas próprias canções em 2004.
A primeira canção que escreveu acabou no Festival da Canção da Lituânia em 2004 e ganhou o Prémio do Olympic Casino de Vilnius para melhor canção a concurso. Em 2004, é convidado pela banda Fomins & Kleins para escrever a versão Portuguesa da sua canção “Dziesma par laimi”, que seria a representante da Letónia no Festival da Eurovisão de 2004.
Em 2005, volta a participar como autor e produtor no Festival da Canção da Lituânia e ganha o Prémio da LR (Rádio Nacional da Lituânia) para melhor canção a concurso.
Em 2006, começa a trabalhar em parceria com Andrej Babic e a escrever para vários intérpretes de diferentes países.
Em 2007, produz e assina com Andrej Babic o tema que ficaria em 2.º lugar na selecção da canção de Andorra para a Eurovisão. Em 2007, entra na equipa que produziu a canção da Eslovénia na Eurovisão, assinando também a versão castelhana da canção.
Em 2008, a RTP convida-o a participar no 44.º Festival RTP da Canção, em que assina e produz o tema “Senhora do Mar”, interpretado por Vânia Fernandes e que vence o certame, representando Portugal no Festival da Eurovisão (na Sérvia), alcançando o 2.º lugar da semifinal e o 13.º lugar da final. Em Belgrado, vence o Prémio Marcel Bezençon para Melhor Canção.
Em 2009, assina temas para o álbum de estreia da soprano irlandesa Celine Byrne, vencedora do Prémio Maria Callas em 2007 e que actua ao lado de José Carreras.
Em 2010, assina contrato em Portugal com a Rossio Music Publishing.
A lista de países e artistas que já gravaram temas seus é extensa e internacional: Marjorie (Finlândia), Aisté Pilvelyté, Rasa Kausiute (Lituânia), Fomins & Kleins (Letónia), Ishtar Ruiz (Andorra), Martina Majerle (Croácia), Alenka Gotar (Eslovénia), Celine Byrne (Irlanda), etc…

 

 


ANDREJ BABIC
Andrej Babic nasceu na Croácia e era muito novo que demonstrou o seu talento na música – em parte porque no seu quarto de dormir havia um piano!
Ao longo dos seus estudos musicais, o Andrej sempre foi um admirador da Eurovisão e dirigiu o seu trabalho de composição para o Eurofestival.
Começou por escrever canções para a banda Teens.
Em 2003, ganhou a final da Croácia para a Eurovisão, escrevendo e compondo a canção “Vise Nisam Tvoja” (“Já não sou tua”) interpretada pela cantora croata Cláudia Beni. A canção recebeu o passaporte para representar o seu país em Riga, na Letónia, e alcançou o 15.º lugar entre 26 participantes.
Em 2005, o Andrej decide participar na final da Bósnia-Herzegovina para a Eurovisão: compôs e escreveu a canção “Zovi” (“Liga-me”), um tributo assumido aos ABBA e aos 50 anos do Concurso da Eurovisão, interpretada pela girlsband Feminnem. A canção venceu as outras 13 concorrentes no certame e levá-lo-ia até Kiev, na Ucrânia, para o Eurofestival de 2005. Esse tema haveria de ser cantado em inglês e “Call me” alcançou o 14.º lugar entre os 25 participantes.
Em 2005 e 2006, o Andrej compos e escreveu as canções que ficariam em 2.º lugar na final da Eslovénia para a Eurovisão, apesar de serem as mais votadas pelo público…
Em 2007, o Andrej ganha finalmente o passaporte esloveno para a Eurovisão, ao compor e escrever “Cvet z Juga” (“A flor do sul”), interpretada pela soprano Alenka Gotar. Esta canção faria história no país, ao dar à Eslovénia um lugar na final da Eurovisão pela primeira vez desde 2003! Aí, e apesar de ser uma das favoritas à vitória, alcançou um honroso 15.º lugar.
Em 2008, o Andrej que já trabalhava com Carlos Coelho desde 2006, compõe a melodia de “Senhora do Mar” e a canção é apresentada para o Festival RTP da Canção 2008. A vitória nessa noite de 9 de Março com 35% dos televotos leva-o a Belgrado, onde vence o Prémio Marcel Bezençon para Melhor Canção.
Em 2009, volta a vencer o passaporte esloveno para a Eurovisão, compondo o tema “Love Symphony”, para o quarteto de cordas Quartissimo e Martina Majerle.
Em 2010, é de novo seleccionado para a final da Eslovénia para a Eurovisão, compondo “Tukaj sam doma” (“Aqui é a minha casa”) para a intérprete Manca Spik.
Até à data, Andrej é um verdadeiro recordista eurovisivo: escreveu 5 cançoes e representou 4 países diferentes!
 



Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
16
20

21
23
24
26
27

28


Arquivo
2010

Pesquisar
 
blogs SAPO